É com grande pesar que noticiamos o falecimento do escritor americano Gardner Dozois.

Dozois por M.C. Valada

Dos editores mais aclamados da ficção científica, ganhou o Hugo Awards de melhor editor 15 vezes. Ele foi editor da revista Asimov por 20 anos, ajudando vários autores (incluindo R. R. Martin) a ganharem visibilidade na indústria. Como escritor, Dozois ganhou duas vezes o Prêmio Nebula de melhor conto, por ‘Morning Child’ e ‘The Peacemaker’.

Dozois editou diversas antologias temáticas de fantasia e ficção científica, muitas delas com contos famosos de Martin. É o caso de, Ruas Estranhas, O Príncipe de Westeros e Outras Histórias, Mulheres PerigosasAs Crônicas de Marte (aqui Martin aparece apenas na introdução), e o vindouro Crônicas de Espada e Feitiçaria. Ele também co-escreveu o romance Caçador em Fuga ao lado de Martin e Daniel Abraham.


A seguir, traduzimos o texto que George publicou em homenagem ao amigo:

Adeus, Gargy

Gardner Dozois morreu no domingo.

Eu não consigo lhes dizer o quanto é difícil escrever essas palavras. Eu provavelmente deveria ter postado algo no domingo à noite, ou ontem com certeza, mas eu simplesmente não consegui. Quase senti como se fosse se tornar verdade se eu escrevesse, e há uma parte de mim, uma grande parte de mim, que ainda não quer acreditar que isso aconteceu. Não pode ser real. Conversei com Gardner poucos dias atrás. Ele foi para o hospital depois de uma queda que o deixou “machucado, mas não quebrado” (suas palavras), mas ele ainda era Gardner, Gargy, o Grande Gargoo, engraçado, animado, cheio de planos. Nós conversamos sobre nos encontrarmos quando eu fosse para o leste em julho, seja na Thrillerfest em Nova York ou na Filadélfia, onde ele esperava estar em recuperação. Nós conversamos sobre sua mais recente antologia, e eu tentei convencê-lo a vir a San José para a Worldcon, e nós rimos. Isso aconteceu rápido demais…

Eu preciso escrever uma apreciação adequada para Gardner, e eu irei, eu irei… mas não agora. A ferida ainda está muito aberta. Eu continuo querendo pegar o telefone e ligar para ele e ouvir sua voz novamente.

Os amigos na Capclave

Gardner e eu temos uma longa história. Ele foi meu segundo amigo mais antigo na área (conheço Howard Waldrop há mais tempo, embora eu realmente tenha CONHECIDO Gardner antes, já que Howard e eu nos falávamos apenas por correios durante a primeira década ou algo assim). Gardner é a razão pela qual estou aqui. Ele foi o editor-assistente da GALAXY em 1970 que pescou minha história “The Hero” para fora da pilha e a recomendou para aquisição do editor Ejler Jakobsson (que sempre acatava suas recomendações). Essa foi a minha primeira venda profissional. E na primavera de 1971, quando entrei no Disclave, o primeiro evento de ficção científica que participei, Gardner foi a primeira pessoa que encontrei. Ele estava trabalhando na mesa de registros.

Muitas pessoas estão postando e publicando apreciações de Gardner agora, dizendo que ele era um grande escritor e um grande editor. Tudo verdade. Mas não é pelo editor ou pelo escritor que estou de luto, é pelo meu amigo. Ele era a alma mais calorosa, gentil e carinhosa que você poderia conhecer, maior que a vida, obsceno, engraçado… tão engraçado. Quando me lembro de Gardner, lembro-me de risadas. Se você estivesse andando pelos corredores em qualquer evento, e você ouvisse um grupo de pessoas rindo, as probabilidades são de que Gargy estava no meio, com uma jellybean ou um cheese doodle enfiado no nariz, contando suas velhas histórias da época do exército. Eu ouvi essas histórias uma centena de vezes, e elas sempre me faziam rir tanto quanto da primeira vez. “Do not piss on the third rail, or YOU WILL DIE.”

Parte meu coração saber que nunca mais vou rir com ele.

E você sabe o que mais me parte o coração? O NIGHTFLYERS saiu hoje, em duas edições, uma da Tor (com histórias extras) e uma da Bantam (com ilustrações). O livro é dedicado a Gardner. “Manatees!” Eu ia lhe mandar cópias como uma surpresa … e agora eu não posso.

Ah, caramba … isso é muito difícil.

Alguns anos atrás, na Capclave, Gardner, eu e Howard Waldrop participamos de um painel que era apenas nós três contando histórias. Está no YouTube agora:

Dê uma olhada. Ria. Enfie uma jellybean no seu nariz.

Este foi Gardner.

Deus, eu amei esse homem.


Descanse em paz.