Um noviço na Cidadela © Fantasy Flight Games

Diversas teorias com base em acontecimentos de todos os livros apontam para a existência uma grande conspiração orquestrada pela Ordem dos Meistres e que estes pretendem acabar com a magia do mundo. Dentre as ações tomadas pelos Meistres para conseguir exterminar a magia está a destruição de todos os dragões, feito que eles deveriam acreditar ter conseguido até que Daenerys deu vida a três dragões de uma só vez.

Nesta primeira parte da análise da teoria começaremos pela Rebelião de RobertBaratheon ou Guerra do Usurpador. Nesse texto iremos analisar o que realmente pode ter acontecido por trás da Rebelião e o que nos leva a crer que pode ter sido uma ação manipulada pela Ordem dos Meistres com a finalidade de acabar com o reinado dos Targaryen em Westeros e tomar de volta os Sete Reinos, pondo fim a linhagem de Aegon o Conquistador.

ATENÇÃO: esse texto contém spoilers dos livros até A Dança dos Dragões.

O QUE SABEMOS SOBRE A REBELIÃO DE ROBERT?

O conflito teve início depois que Rhaegar Targaryen sequestrou Lyanna Stark, que estava prometida a Robert Baratheon. Apesar dos apelos de Hoster Tully por paciência, Brandon Stark rumou a Porto Real. Lá, ele foi até a Fortaleza Vermelha e, aos gritos, desafiou o príncipe Rhaegar a sair e morrer. O Rei mandou prendê-lo junto com sua comitiva (seu escudeiro Ethan Glover, Jeffory Mallister, Kyle Royce, e o neto e herdeiro do Senhor do Vale Elbert Arryn) por conspirar a morte do príncipe herdeiro.

Ned e Robert – © Fantasy Flight Games

O Rei Aerys II Targaryen, cada vez mais insano desde o Desafio de Valdocaso, ordenou que os pais dos prisioneiros se apresentassem diante do Trono de Ferro para responder às acusações feitas contra seus filhos. Quando o fizeram, todos foram mortos sem julgamento. Ethan Glover foi o único sobrevivente. Lorde Rickard Stark exigiu um julgamento por combate e foi assado vivo em sua armadura, enquanto seu filho Brandon, preso pelo pescoço em um dispositivo, acabou estrangulando a si mesmo tentando salvar o pai. Logo depois, o Rei Louco exigiu as cabeças de Robert Baratheon, de Eddard Stark e de seu protetor, Jon Arryn. Porém, o Lorde Arryn reuniu seus vassalos e iniciou uma rebelião, protestando contra os injustos atos do Rei Louco.

POR QUE DUVIDAR?

Sempre fomos ensinados que a guerra de Tróia se iniciou após Paris sequestrar Helena, a esposa de Menelau, mas hoje sabe-se que a guerra teria sido motivada por interesses políticos e pela rivalidade comercial entre Tróia e o reino mercantilista micênico.

O assassinato do arquiduque Ferdinando é conhecido como o estopim para o início da Primeira Guerra Mundial, mas ao estudar um pouco mais sabemos também que o conflito foi um resultado das políticas das grandes potências imperialistas. Já havia sido criado o clima para o início da guerra, o assassinato do arquiduque foi apenas o gatilho para que a guerra se iniciasse.

Sabemos que o rei Aerys estava cada dia mais louco e paranoico em relação a uma possível tentativa de golpe, os nobres estavam cada dia mais descontentes com sua loucura afetando a política do reino. Mas por que estes não apoiaram a sucessão de Rhaegar ao Trono de Ferro já que este era o príncipe amado pelo reino e herdeiro de direito?

Como será que surgiu essa ideia de colocar Robert na linha de sucessão ao trono?

 

VAMOS AOS FATOS!

No capítulo 37 de A Dança dos Dragões, O Príncipe de Winterfell, Lady Dustin conversa com Theon a respeito dos Meistres.

Quando o Meistre Medrick caiu sobre um joelho para murmurar ao ouvido de Bolton, a boca da Senhora Dustin torceu-se de desagrado.
— Se eu fosse rainha, a primeira coisa que faria seria matar todas aquelas ratazanas cinzentas. Correm por todo o lado, vivendo das sobras dos senhores, chiando umas com as outras, sussurrando aos ouvidos dos seus amos. Mas quem são
realmente os amos e os servos? Todos os grandes senhores têm o seu meistre, todos os senhores de menor gabarito aspiram a ter um. Se não se tem um meistre, isso é visto como querendo dizer que se é de pouca importância. As ratazanas cinzentas leem e escrevem as nossas cartas, mesmo para senhores que não sabem ler, e quem poderá dizer com certeza que não estão distorcendo as palavras para os seus próprios fins? De que servem eles?, pergunto-vos.
— Curam — disse Theon. Parecia ser o que se esperava dele.
— Curam, pois. Nunca disse que não eram subtis. Tratam de nós quando estamos doentes ou feridos, ou perturbados com a doença de um pai ou de um filho. Sempre que estamos mais fracos e mais vulneráveis, lá estão eles. Às vezes curam-nos, e ficamos devidamente agradecidos. Quando falham, consolam-nos na nossa dor, e também ficamos gratos por isso. Por gratidão, concedemos-lhes um lugar sob o nosso teto e deixamo-los ao corrente de todas as nossas vergonhas e segredos, fazemo-los participar em todos os conselhos. E não demora muito até que o governante passe a governado.

“Foi isso que aconteceu ao Lorde Rickard Stark. O nome da sua ratazana cinzenta era Meistre Walys. E não é inteligente o modo como os meistres respondem só pelo primeiro nome, mesmo aqueles que tinham dois quando chegaram à Cidadela? Assim, não podemos saber quem realmente são ou de onde vêm… mas se se for suficientemente decidido ainda se pode descobrir. Antes de forjar a sua corrente, o Meistre Walys era conhecido como Walys Flowers. Flowers, Hill, Rivers, Snow… damos esses nomes a crianças bastardas para as assinalar como o que são, mas elas são sempre rápidas a verem-se livres deles. Walys Flowers tinha uma garota de Torralta como mãe… e um arquimeistre da Cidadela como pai, segundo se dizia. As ratazanas cinzentas não são tão castas como nos gostariam de levar a crer. Os meistres de Vilavelha são os piores de todos. Depois de Walys forjar a corrente, o seu pai secreto e os amigos dele não perderam tempo a despachá-lo para Winterfell para encher os ouvidos do Lorde Rickard com palavras envenenadas doces como o mel. O casamento Tully foi ideia dele, não tenhais dúvidas, ele…

No capítulo 41 de A Dança dos Dragões, O vira casacas, Lady Dustin continua sua história a respeito de Lorde Rickard Stark.

Mas no dia em que soube que Brandon ia casar com Catelyn Tully… não houve nada de doce nessa dor. Ele nunca a quis, garanto-vos. Disse-me isso mesmo na última noite que passamos juntos… mas Rickard Stark também tinha grandes ambições. Ambições meridionais, que não seriam promovidas se o seu herdeiro se casasse com a filha de um dos seus vassalos. Depois disso, o meu pai nutriu alguma esperança de me casar com o irmão de Brandon, Eddard, mas Catelyn Tully também ficou com esse.

No primeiro trecho ficamos cientes de que Lorde Rickard estava sendo influenciado pelo seu conselheiro, o Meistre Walys. Depois disso, Lady Dustin complementa a história dizendo que Brandon foi prometido a Catelyn a fim de garantir uma aliança entre as duas casas, Tully e Stark, o que seria uma ambição do Lorde Stark ou possivelmente do Meistre Walys. Lady Dustin pode apenas odiar os Starks por ter perdido a oportunidade de se casar com o homem que amava, Brandon ou será que há algo mais profundo na história? A ambição de Lorde Rickard Stark mencionada por Lady Dustin parece indicar que há algo mais além da loucura de Aerys que o levou a suspeitar de uma conspiração para tirá-lo do trono. De modo que podemos suspeitar que não foi um simples sequestro que levou a eclosão da rebelião.

Meistre em seus estudos, no vídeo de história e tradição da HBO.

Mas onde isso nos leva? À possibilidade de que os Meistres estavam conspirando uma aliança entre as grandes Casas de Westeros. Lyanna foi prometida a Robert, unindo os Starks aos Baratheon, Catelyn prometida a Brandon, unindo os Starks aos Tully, seria uma parte do plano. A aliança entre os Stark, Baratheon e Arryn seria uma outra parte, quando Eddard e Robert foram enviados para viver no vale.

O “rapto de Lyanna” por Rhaegar pode inclusive ter sido premeditado, a fim de quebrar a aliança entre essas quatro grandes casas, já que Rhaegar estava cercado por um pai louco e súditos que estavam se aliando contra seu pai, além de acreditar na profecia e no fato de que precisava de um terceiro filho…

Voltando um pouco no tempo, anteriormente a Rebelião, sabemos que muitos dos senhores das grandes casas se encontraram no Torneio de Harrenhall. Jon Arryn , Steffon Baratheon, Rickard Stark, Hoster Tully e Tywin Lannister são todos velhos companheiros de guerra, pois lutaram juntos na Guerra dos Reis de Nove Moedas. A exceção de Tywin, todos parecem ter cultivado uma amizade além da guerra. O que explicaria por que eles criaram laços entre as suas casas: Eddard e Robert foram para o Ninho da Águia. Robert estava apaixonado de Lyanna e um noivado foi realizado. Lorde Hoster Tully queria casar suas filhas com os herdeiros de Winterfell e Rochedo Casterly, respectivamente.

Forjando a corrente – por Mike Capprotti. © Fantasy Flight Games

Estas alianças, se observadas mais profundamente são bastante incomuns, uma vez que normalmente os herdeiros casam-se com seus próprios vassalos. Hoster Tully casou-se com Minisa Whent, Tywin Lannister com Joanna Lannister, sua prima. Steffon Baratheon com Cassana Estermont. A esposa de Rickard é desconhecida, mas sua mãe era do Clã Flint. Mace Tyrell casou-se com Alerie Hightower e Balon Greyjoy com Alannys Harlaw. Os casamentos entre os vassalos é de suma importância para todos os senhores do reino, pois garante a influência política e estabilidade em seu próprio domínio. Casar-se com um aliado de outro território seria importante apenas para selar a paz ou se para selar uma aliança. Caso contrário, isso não é interessante, porque ganhar ou reter a influência de seus próprios vassalos é muito mais importante, especialmente em um reino remoto como o Norte.

No entanto, o que vemos é que todos os senhores das grandes Casas estão indo na direção exatamente oposta, criando um grupo de alianças entre si. Observa-se que ficaram de fora apenas os Martell, pois eram aliados do rei, já que Ellia era a esposa de Rhaegar e futura rainha dos Sete Reinos, os Greyjoy e os Tyrell que não tinham herdeiros em idade suficiente para se casar. Até os Lannister estariam incluídos na aliança, caso Jaime se casasse com Lysa Tully. Ao que tudo indica, pelo menos cinco das grandes casas estariam envolvidas em um plano para acabar com o reinado de Aerys e possivelmente da dinastia Targaryen como um todo. A morte de Lorde Rickard Stark e de Brandon Stark pode não ter sido parte do plano, já que levou o reino inteiro a uma guerra. Porém, como resultado da guerra e da rebelião, os os Sete Reinos conseguiram se livrar do reinado dos Targaryen, colocando Robert Baratheon no Trono de Ferro, que mesmo sendo um descendente distante dos Targaryen é também descendente dos ndalos, dos Roinares e dos Primeiros Homens.

Em O Festim dos Corvos, Jaime se lembra de quando Rhaegar partiu da Fortaleza Vermelha para o Tridente e afirmou que quando retornasse convocaria o conselho e que haveria mudanças. Podemos especular que Rhaegar tenha tomado conhecimento da insatisfação do reino com o governo de seu pai e da conspiração entre as grandes casas (Stark, Tully, Arryn, Baratheon) e tenha pensado em propor uma trégua e transição para um novo governo, onde ele seria o novo rei. Mas infelizmente, sabemos que os planos dele terminaram com a sua morte na Batalha do Tridente.

Robert e Rhaegar no Tridente, por Justin Sweet para O Mundo de Gelo e Fogo

No fim, o objetivo principal dessa suposta conspiração dos Meistres foi por um fim ao reinado dos Targaryen em Westeros, acabando com qualquer possibilidade de que os dragões retornassem e com eles a magia estivesse de volta ao mundo. Mas como tudo não passa de teoria, é possível que a aliança entre as casas esteja além da conspiração dos Meistres e faça parte de um outro grande plano. O fato é que ainda não sabemos boa parte do que aconteceu antes de A Guerra dos Tronos, mas esperamos saber a verdade sobre todas essas teorias até o final da história.


O que vocês acham? De onde pode ter surgido esta conspiração? Será que os Meistres estão realmente por trás de tudo? Aguardem a próxima parte da teoriaonde iremos um pouco mais além dos fatos, discutindo os acontecimentos que envolvem o Meistre Marwyn, o mago.