Olá! Estamos na quarta edição de Assim Falou Martin, em que apresentamos declarações de George R. R. Martin, autor de As Crônicas de Gelo e Fogo. Os registros desta edição estão originalmente no Westeros.org, que gentilmente autorizou que traduzíssemos para o português.

Os relatos publicados hoje são de janeiro de 1999, e incluem postagens de George em fóruns e correspondência com fãs. Tentamos, na tradução, manter a escrita original, na medida do possível. As ilustrações são por nossa conta (e claro, dos autores).

Para acessar a coleção completa de AFMs publicados, clique aqui. Boa leitura!

Hodor e as criptas

Correspondência com fã, enviada por Nenz. 3 de janeiro de 1999.

Nenz: Depois de reler tanto A Guerra dos Tronos quanto A Fúria dos Reis fiquei pensando em uma questão: por que Hodor não teve medo das criptas debaixo de Winterfell no final de A Fúria dos Reis? Em A Guerra dos Tronos, Hodor estava com muito medo das criptas, ele não queria levar Bran lá embaixo, mas em A Fúria dos Reis ele ficou com Bran e Rickon na cripta por um bom tempo, como ele ficou lá se tinha tanto medo?

Martin: Hodor só ficou com medo das criptas naquele momento específico. Não antes e não depois.

A Clash of Kings UK
Capa da primeira edição britânica de A Fúria dos Reis.

A Clash of Kings
Capa da primeira edição americana de A Fúria dos Reis.

Diferenças nas datas de publicação

Post em fórum. 5 de janeiro de 1999.

Editoras funcionam de formas misteriosas. Entreguei A FÚRIA DOS REIS para minha editora britânica (HarperCollins) e para minha editora americana (Bantam) simultaneamente.

A versão da Harper saiu primeiro… bem, porque conseguiram uma vaga primeiro para ele, e o colocaram em produção e impressão um pouco mais rápido.

Planos futuros

Post em fórum. 5 de janeiro de 1999.

AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO ao final vão chegar a seis livos, então ainda tenho três e meio para escrever. Isso vai me manter ocupado por uns bons anos.

Depois disso, não há como dizer o que vou fazer. Se eu eventualmente escrever uma prequela de GELO E FOGO, porém, não vai ser sobre a queda de Aerys II. Eu iria antes disso, e continuaria com Dunk e Egg a partir de “O Cavaleiro Andante.”

Patriarcado em Westeros

Post em fórum. 7 de janeiro de 1999.

Uma das coisas que quis fazer com AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO foi fazer dela um pouco mais “real” do que a maioria da alta fantasia. Tirei muita inspiração da História e da ficção histórica, e mergulhei na Idade Média antes de começar a escrever. O patriarcado era tão parte da sociedade medieval quanto o feudalismo, a fé, ou as espadas.

Criei outros mundos ficcionais que são mais sexualmente igualitários – tente meu romance SANTUÁRIO DOS VENTOS, escrito com Lisa Tuttle.

Com GELO E FOGO, porém, preferi ficar mais perto de meus modelos históricos.

Descendentes de Dunk

Post em fórum. 7 de janeiro de 1999.

[Sumário: ALANMAC perguntou se algum dos descendentes de Dunk aparecem em As Crônicas de Gelo e Fogo]

Oh, talvez

Novos personagens em A Tormenta de Espadas

Correspondência com fã, enviada por Revanshe. 13 de janeiro de 1999.

Revanshe: Oh, e você estaria disposto a revelar quem serão os personagens em A Tormenta de Espadas? Lembro que sabíamos quem eram os personagens em A Fúria dos Reis bem antes do livro sair.

Martin: Bem, na maior parte os mesmos pontos de vista de FÚRIA, mas vou retirar Theon Greyjoy e adicionar Sam Tarly e [DELETADO]

Porém, eu preferia que você não contasse a eles sobre [DELETADO]…

[EXPLICAÇÃO DELETADA]

Linha do tempo

Correspondência com fã, enviada por Kay-Arne Hansen. 20 de janeiro de 1999.

[Sumário de Kay-Arne Hansen: Perguntei por uma linha do tempo da Rebelião de Robert.]

Tenho notas grosseiras sobre tudo isso, mas não é algo que eu já quero publicar.

Posso incluir uma linha do tempo como um apêndice em um livro futuro, mas tenho que trabalhar nela um pouco mais e preencher alguns detalhes antes que ela esteja pronta para publicação.

Filhos de bastardos

Correspondência com fã, enviada por Pamela. 20 de janeiro de 1999.

[Sumário: Pamela pergunta o que aconteceria se dois bastardos de áreas diferentes (ela usa Snow e Rivers como exemplos) se cassassem: que nome a criança teria?]

Pergunta interessante.

A criança mais provavelmente tomaria o sobrenome do pai.

Sir Balan e Sir Balin
Os irmãos Balan e Balin, da lenda arturiana. Ilustração de Henry Margetson. Domínio público

Sor Erryk e Sor Arryk

Correspondência com fã, enviada por Kay-Arne Hansen. 28 de janeiro de 1999.

[Sumário de Kay-Arne Hansen: perguntei a ele se ele tinha lido as Kingsassagas Norueguesas, de Snorre Sturlasson, e expliquei que pensei nisso com base na história de Sansa sobre Sor Arryk e Sor Erryk parecendo ser o equivalente aos irmãos reis Alrik e Eirik, e passei a fazer sugestões sobre outros possíveis ‘inspiradores’ das Kingssagas.]

Oh… bem… uma teoria fascinante, mas…

Eu tive um semestre de história escandinava em meu segundo ano da faculdade, que foi… hmmmm… mais ou menos em 1967-68. Li algumas sagas islandesas durante o curso, e achei elas mutíssimo atrativas, mas depois de passados trinta anos confesso que não me lembro mais dos títulos ou nomes de nenhum dos personagens. Pode ser que pedaços deles, enterrados em meu subconsciente, de alguma forma vieram à tona durante AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO… mas parece um chute longo.

Sor Arryk e Sor Erryk foram inspirados pelos cavaleiros gêmeos do mito arturiano, Sir Balon e Sir Balin, que aparecem na obra de Mallory.

Desculpe.

Boa tentativa, porém.

Jardim de Cima e o Rochedo

Post em fórum. 28 de janeiro de 1999.

Jardim de Cima e Rochedo Casterly são as duas mais ricas e mais poderosas das Grandes Casas. Os Lannisters têm maior riqueza, mas os Tyrells podem colocar mais homens em campo.

Casa Tyrell
A família Tyrell. Arte: Cabepfir.

Tyrells em A Tormenta de Espadas

Post em fórum. 31 de janeiro de 1999.

[Sumário: Um leitor perguntou se mais de Sor Loras será visto em A Tormenta de Espadas]

Não só vocês verão mais de Sor Loras, mas também verão a mãe dele, o pai dele, o irmão dele, as primas dele, e vocês ouvirão sobre o outro irmão dele, os tios dele, e mais primos. Um buquê inteiro de rosas douradas.

Algumas dessas respostas repercutiram no futuro. Em falas posteriores, Martin indicou que realmente existem descendentes de Duncan em As Crônicas de Gelo e Fogo – Brienne é a principal. Nessa época ele já mostrava resistência à ideia de escrever uma história separada sobre a Rebelião de Robert (como fez também em relação às séries derivadas de Game of Thrones, anos mais tarde). A resposta sobre o sobrenome dos filhos de bastardos mostra que George não tem verdades categóricas para tudo já planejadas, e também que as questões envolvendo bastardia não são absolutas.

A quinta edição de Assim Falou Martin chega na semana que vem, e a caixa de comentários da quarta está aberta. Para acessar a coleção completa de AFMs, clique aqui.