Olá! Esta é a oitava edição de Assim Falou Martin, a seção na qual o Gelo & Fogo traz declarações de George R. R. Martin, autor de As Crônicas de Gelo e Fogo. Os registros desta edição estão originalmente no Westeros.org, que gentilmente autorizou que traduzíssemos para o português.

Os relatos publicados hoje são de junho de 1999, e incluem posts de George em fóruns e correspondência com fãs. Tentamos, na tradução, manter a escrita original, na medida do possível. As ilustrações são por nossa conta (e claro, dos autores).

Para acessar a coleção completa de AFMs publicados, clique aqui. Boa leitura!

A idade de Bronn

Bronn
Bronn, por Pojypojy.

Correspondência com fã, enviada por Elio M. García, Jr. 5 de junho de 1999.

Em outro assunto, quantos anos tem o Bronn? Essa coisa da idade colocou as asas para fora em um dos fóruns de discussão. 😉

Bronn tem uns trinta e poucos, trinta e cinco, imagino.

Turnês

Post em fórum. 8 de junho de 1999.

Autores na verdade têm muito pouco controle sobre onde aonde vão em turnês. As cidades geralmente são escolhidas pelas editoras. Muito disso começa com as livrarias. As lojas que têm muitos autores começam a pedir por eles, encomendando um estoque grande dos livros deles, e fazendo quanta publicidade for necessária para fazer da sessão de autográfos um sucesso. Algumas livrarias querem autores, mas não estão dispostas a investir nenhum trocado em anúncios – essas sessões de autógrafos são inevitavelmente um desastre.

E a última turnê pode afetar a seguinte. Se uma editora envia o autor X a uma cidade ou livraria em particular, e três pessoas aparecem para comprar livros (ou nenhuma, o que também já aconteceu), essa loja provavelmente não vai receber uma visita do autor Y quando ele sair em turnê seis meses depois.

Nada disso responde à pergunta particular de por que Oklahoma não recebe muitos autores em turnê. Não sei a resposta para isso. O gerente se sua livraria local pode saber, porém.

Grande Conselho de 101
O Grande Conselho de 101. Arte: Marc Simonetti, para O Mundo de Gelo e Fogo.

Grandes Conselhos e a lei

Correspondência com fã, enviada por Maia B.. 10 de junho de 1999.

1. A evidência de Ned sobre a bastardia dos filhos de Cersei poderia ter convencido o Grande Conselho, como o que deu a coroa a Aegon V? Essa evidência era completamente inequívoca no contexto desse mundo de fantasia (não seria no nosso mundo)?

Tendo acabado de me manifestar em um caso da vida real no qual sou testemunha, posso te dizer que nenhuma evidência é “completamente inequívoca”, seja em Westeros ou nos Estados Unidos. Advogados discutirão sobre qualquer coisa.

E o Grande Conselho é um evento muito raro. Westeros não tem o equivalente a uma sessão do Parlamento em períodos regulares. Se Ned tivesse sido capaz de estabelecer sua autoridade e convocar um Grande Conselho… bem, os lordes presumivelmente teriam ouvido as evidências e decidido…

2. Mindinho estava dizendo a verdade, quando disse a Ned que os Tyrells e os Redwynes se levantariam contra a sucessão de Stannis?

Sem comentários.

3. Membros de uma Grande Casa têm direito legal de prender e julgar membros de outra? Isto é, a captura de Tyrion por Catelyn, dada a evidência incriminatória, foi legal?

Era um tanto quanto incerto. Um senhor administra a justiça em suas próprias terras. Catelyn teria tido uma pretensão muito mais forte se tivesse capturado Tyrion no Norte. Mesmo em nosso mundo, sempre há perigos em prender os ricos e poderosos, independentemente da legalidade de seu ato ou de quantas provas você tem… e os grandes senhores de Westeros são um bocado mais suscetíveis quanto a sua honra.

Separação de pontos de vista

Correspondência com fã, enviada por Min. 11 de junho de 1999.

[Sumário do e-mail inicial de Min: é verdade que personagens pontos de vista têm que estar fisicamente distantes?]

Veja A GUERRA DOS TRONOS – existem vários momentos em que há dois ou até três personagens ponto de vista diferentes juntos no mesmo lugar ao mesmo tempo. É só mais tarde que eles se espalham. Não existem “regras” postas e rígidas para isso. Uso os pontos de vista de que preciso para contar a história… e quero que cada ponto de vista tenha sua própria história dentro da história também, isso é, que mude e cresça e se desenvolva.

Tamanho de Gregor

Post em fórum. 11 de junho de 1999.

[Sumário: em resposta a um leitor que queria saber exatamente o quão grande Sor Gregor Clegane é, chutando por volta de 2,10m]

Maior, na verdade. Sor Gregor está mais perto de 2,40m do que de 2,10.

Tenho menos certeza quanto ao peso dele, mas ele basicamente é só músculo.

Obrigado pelas palavras gentis.

Meistre e corvo
Um meistre solta um corvo. Arte: Aleksander Karcz. © Fantasy Flight Games.

Corvos

Post em fórum. 11 de junho de 1999.

[Em resposta a uma pergunta perguntando por que corvos são usados ao invés de pombos como pássaros mensageiros nos Sete Reinos]

Tudo o que o Elio disse certamente é verdade; corvos são mais espertos que pombos, voam melhor, são mais capazes de se defender contra gaviões e outros predadores, etc.

Também gostei das ressonâncias míticas. Odin usava corvos como seus mensageiros, e também se acreditava que eles eram capazes de voar entre os mundos dos vivos e dos mortos.

Corvos realmente seriam melhores mensageiros que pombos? Provavelmente não… mas me pareceu que se eu teria dragões e lobos gigantes, que esticar um pouco a verdade sobre os corvos também era um pouco permitido. No final, afinal, AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO é uma série de fantasia.

Contando o tempo

Correspondência com fã, enviada por Min. 12 de junho de 1999.

[Sumário do e-mail inicial: As pessoas nos livros contam suas idades em anos. Eles parecem ter a mesma duração que nossos anos. Mas os nossos vêm das estações que temos. As estações nos Sete Reinos são muito mais longas. Como eles chegam a essa forma de contar o tempo?]

Os anos não são baseados em estações, mesmo no mundo real. São baseados em quanto a Terra demora para girar em torno do sol… isto é, em astronomia, a posição do sol e da lua e das estrelas. Monumentos antigos como Stonehenge e Newgrange serviam a propósitos astronômicos tanto quanto religiosos, e ajudavam a contar a passagem dos anos, os solstícios de verão e inverno etc.

Egg e Aerion

Post em fórum. 13 de junho de 1999.

Egg não queria se revelar, e mais especialmente não queria se revelar para seu irmão Aerion, que ele odiava e temia. Ele só o fez no final por desespero.

Contatando artistas de capa

Post em fórum. 13 de junho de 1999.

A melhor forma de contatar Steve Youll, ou qualquer artista de capa, é escrever para eles aos cuidados da editora no endereço no livro.

A carta será repassada, embora possa demorar algum tempo. No caso de um artista, enviar aos cuidados do Diretor de Arte pode acelerar o processo.

Turnê europeia

Post em fórum. 11 de junho de 1999.

Não há planos para uma turnê europeia, mas estarei em uma convenção em Leipzig, Alemanha, na primeira semana de outubro em 2000. Espero encontrar alguns de meus leitores alemães lá.

Diversas perguntas

Correspondência com fã, enviada por Markus Rasch. 17 de junho de 1999.

1. Pode falar um pouco maias sobre o Grande Conselho?

Se eu o fizer, será nos livros.

2. Quantos homens os Greyjoy podem reunir?

Sem comentário.

3. Quantos anos Jaime Lannister tinha quando entrou para a Guarda Real?

15. O mais novo da história.

4. Quem era a mãe de Ned e o que aconteceu com ela?

Lady Stark. Ela morreu.

5. Aegon, o Dragão, era casado com Rhaenys e Visenya ao mesmo tempo?

Sim.

Tragédia de Solarestival
A Tragéida de Solarestival. Arte: Marc Simonetti, para O Mundo de Gelo e Fogo.

Solarestival

Correspondência com fã, enviada por Kay-Arne Hansen. 19 de junho de 1999.

É dito que Maekar era o Príncipe de Solarestival. Isso soa um bocado como os locais de lazer dos figurões soviéticos (“datsjas”), mas suponho que seja um castelo em algum lugar. Onde é? Dorne?

Solarestival foi um castelo levemente fortificado que Daeron II construiu nas marcas de Dorne, mais ou menos onde Dorne, a Campina e as Terras da Tempestade se encontram. Era um castelo Targaryen e uma residência real, especialemnte quando Daeron era jovem, mas à medida que ficou maias velho ele passou a sair de Porto Real com menos frequência, e Solarestival passou a seu filho mais novo, Maekar. (Baelor tinha Pedra do Dragão, e Aerys e Rhaegel raramente deixavam a corte).

Você descobrirá mais sobre Solarestival se eu escrever mais histórias de Dunk & Egg.

[O resto: Dunk foi realmente nomeado cavaleiro? Como são os preços em Westeros (800 veados de prata para viver confortavelmente por um ano, mas comida é super barata)? Quantos veados de prata para o dragão de ouro? Como Robert cosneguiu deixar a coroa tão endividada?]

Sem comentários quanto ao resto, exceto para dizer que Robert era uma alma generosa que gastava dinheiro de forma prodigiosa. Veja os prêmios que ele definiu para o torneio da Mão, por exemplo.

Filhos da Floresta

Correspondência com fã, enviada por Benjen. 21 de junho de 1999.

Espero que as coisas estejam indo bem com Tormenta de Epadas.

Muito bem, obrigado. Estou bem dentro do cronograma e espero terminar até o fim do ano.

Devo pedir desculpas por tomar tempo valioso para fazer perguntas mas essa está me incomodando e esperava que você pudesse ajudar. Estava folheando A Guerra dos Tornos pela milionésima vez e voltei à história que a Velha Ama estava contando a Bran sobre a Longa Noite e o último herói que foi encontrar os Filhos da Floresta. Bem na parte mais assustadora da história dentro da história, Meistre Luwin entre no meio, e o conto nunca foi terminado.
O último herói acabou encontrando os Filhos da Floresta? O que parou o avanço dos Outros? Há alguma relação entre os Filhos da Floresta e os Outros?
Entendo que provavelmente veremos mais dos Outros depois, mas essa trama é muito interessante e não acho que a Velha Ama ainda vai estar por aí para encerrá-la. Qualquer informação seria imensamente apreciada.

Receio que esse seja o tipo de perguntas que responderei nos livros que virão, ao invés de em e-mail.

Se você gosta de especular sobre essas coisas com outros fãs, porém, confira o site em http://asoiaf.westeros.org/.

P.S. Estou mais ou menos na metade de “Portraits“, e me pergunto por que o público demorou tanto para ir até sua obra. É simplesmente boa demais.

Obrigado. Não sei por que demoraram tanto também, mas fico feliz que tenham finalmente me encontrado. 🙂

Sandor Clegan e Sanda Stark
O Cão de Caça e Sansa. Arte: Arantza Sestayo.

O Cão de Caça e Sansa

Correspondência com fã, enviada por Benjen. 21 de junho de 1999.

Moreta12: Entendo, ouvi sua opinião sobre isso. Em A Fúria dos Reis, parece que a relação entre o Cão de Caça e Sansa tinha um subtexto romântico. É verdade?

GeoRR: Bem, leia o livro e decida por si mesmo.

Moreta12: Eu li o livro e debati essas cenas em particular com alguns outros. Metade diz que é romântico e a outra metade diz que é platônico. Fiquei no time romãntico.

GeoRR: Observe que pode ser coisas bem diferentes para cada um dos envolvidos.

Moreta12: Sim, mas parece que as evidências apontam para subtexto romântico. O Cão de Caça aparecerá depois?

GeoRR: Sim, o Cão de Caça estará em A TORMENTA DE ESPADAS. Na verdade, acabei de escrever uma grande cena com ele.

Algumas perguntas

Correspondência com fã, enviada por Markus Rasch. 26 de junho de 1999.

1. Jaime disse que a adaga valiriana de Mindinho trocou de dono no torneio do 12º dia do nome de Joffrey, e que Robert a mostrou depois para ele para colocar o dedo na ferida.
A conclusão aparente disso seria que Robert ganhou a adaga.
Assim, podemos assumir que Jaime quis dizer isso, ou ainda é possível que ele não excluiu a possibilidade de que Robert poderia ter pegado a adaga emprestada do verdadeiro vevncedor quando a mostrou para Jaime?

Robert ganhou a adaga apostando contra Jaime… ou pelo menos é o que Jaime está dizendo. “Olha esta adaga legal que ganhei porque você caiu do cavalo, ha ha.”

2. O fim do capítulo em que Dany viaja de Pentos ao outro lado do mar Dothraki (cap. 23) é cronologicamente depois do primeiro capítulo de Jon na Muralha (cap. 19)?

Bem, não tive tempo de checar isso… mas geralmente os capítulos que vêm depois no livro têm lugar depois dos que vêm antes… ou na pior das hipóteses, são simultâneos. Admito que existem sobreposições quando tenho capítulos como a travessia de Dany pelo Mar Dothraki, que cobre muitos meses, em meio a capítulos que só cobrem um dia.

[Perguntei quando Balon Greyjoy decidiu atacar o norte, se Ned está realmente morto e se Robb não terá um POV na série.]

Sem comentários quanto ao resto.

Em junho de 1999, já havia leitores questionando Martin sobre a natureza da relação entre Sandor Clegane e Sansa Stark, um assunto que perdura nas discussões até os dias de hoje – é bom lembrar que na época apenas dois livros haviam sido lançados.

George deixa claro também que não existem evidências categóricas e que são aceitas indiscutivelmente por todas as pessoas, o que muitos leitores têm dificuldade de absorver, às vezes na ânsia de conseguir verdades absolutas para todas as questões.

Outras perguntas interessantes, que ressoam ainda anos depois, são as referentes a Solarestival (cuja tragédia George fez questão de não detalhar em O Mundo de Gelo e Fogo), a dúvida sobre se Duncan foi realmente nomeado cavaleiro e a relação entre os Outros e Filhos da Floresta. Esta última foi respondida no cânone da série de TV (e apesar de uma cronologia questionável, acredito que a situação nos livros seja parecida), e a sobre Dunk é claramente um caso de situação deliberadamente dúbia por parte de George.

Na próxima semana, a nona edição de Assim Falou Martin. A caixa de comentários está aberta abaixo para discussão desta oitava. Para acessar a coleção completa de AFMs, clique aqui.